Somos responsáveis pelo lixo.que produzimos!


Podemos individualmente, optar por várias atitudes que diminuem o volume de resíduos descartado diariamente, mas se não fizermos nada, estaremos contribuindo para aumentar um problema global. E este problema volta para nós, somos parte dele e temos a responsabilidade de buscar soluções. 

Jogar algo fora significa descartar, querer distância daquilo, ficar livre. Mas na verdade não é isso que acontece. Não ficamos livres do nosso lixo, ele continua bem juntinho de nós, em nosso meio ambiente e muitas vezes poluindo e contaminando nossa água. É simples: o lixo é composto de matéria e esta não desaparece como num passe de mágica. Na natureza nada se perde, tudo se transforma. 

Agora vamos imaginar a cadeia produtiva que envolve todo o processo de fabricação de um simples cotonete - da busca de matérias primas até o descarte no lixo. Podemos notar que todas as ações estão dentro de um ciclo, ou seja a produção começa na natureza pela retirada do recurso natural e termina na natureza com o lixo que é enterrado ou jogado de qualquer forma. 

Tudo se transforma. Sempre foi assim, desde o início dos tempos. Nós é que entramos nesse ciclo e resolvemos acelerar as coisas: fomos consumindo, desmatando, destruindo e explorando os recursos naturais numa velocidade crescente. Mas fomos também acumulando problemas, varrendo os impactos ambientais para debaixo do tapete e fingindo que não é com a gente. 

A questão dos resíduos é bastante clara. Infelizmente ainda achamos que o lixo não é um problema nosso. Que temos o direito de consumir e descartar do jeito que for melhor para nós. Mas será que estamos pensando nas transformações que compõem o ciclo da matéria? Alguém que joga um papel de bala na rua já parou para imaginar o que vai acontecer dali para frente? 

Afinal, na natureza nada se perde... 

Os resíduos jogados nas ruas percorrem um caminho bem conhecido: são levados pelas águas, vão entupindo os bueiros e causando inundações, alcançam os córregos, rios e chegam aos oceanos. Neste trajeto causam poluição, degradação, sujeira e muita destruição. Quem nunca viu a cena clássica de um pescador na beira do rio com uma bota na ponta do anzol? 

Hoje em dia, diante do tamanho dos impactos ambientais gerados pelo lixo, essa imagem parece até lúdica. 

Encontrar uma solução 100% eficiente e segura para a destinação final dos mais diversos tipos de resíduos gerados pelo ser humano, é um desafio que ainda não foi vencido. Nossa inteligência cria soluções fantásticas para o progresso da humanidade, mas deixa um rastro de milhões de toneladas de resíduos na forma de entulho, lixo, orgânico, resíduos hospitalares, lixo atômico, recicláveis, agrotóxicos, pesticidas, substâncias químicas diversas e tantas outras formas. 

Por tudo isso, a melhor maneira de lidar com a questão do lixo é repensar nossa atitude diante da cidade, reduzir nossa voracidade de consumo, reutilizar os bens que já possuímos, reciclar tudo que for possível e rejeitar aquilo que não é verdadeiramente sustentável.